sexta-feira, 29 de julho de 2011

Direitos dos deficientes físicos

Para começo de conversa, o correto são "direitos das pessoas portadoras de deficiência física".
Não é exagero. A pessoa pode ser eficiente no local de trabalho, nos estudos, no lazer, apenas tem uma deficiência fisicamente relevante. Com a mudança de denominação é possível incorporar esta mudança de ponto de vista, de "coitados" para cidadãos com limitações físicas, como quaisquer outros.

Existe ampla legislação. Pode partir da Constituição Federal quando afirma que não pode haver qualquer forma de discriminação em seu art. 3º, inciso IV.
Contudo, esta norma é muito abrangente e mantém-se em branco pois não há sanções nem procedimentos.

A lei n. 8112/90 garante a reserva de vagas em concursos públicos para pessoas portadoras de deficiência física, desde que a deficiência não as impeça de realizar as atividades pertinentes ao cargo.

A Ordem de Serviço Conjunta MPAP/INSS n. 90/98, seguindo a mesma linha da resolução n. 630 e da portaria n. 4.677/98, estabelece procedimentos para fiscalização de reserva de vagas, nas empresas, para beneficiário reabilitado ou pessoa portadora de deficiência. Com estas normas, ficam bem caracterizadas as hipóteses de deficiências físicas e como proceder na fiscalização e na seleção de pessoal.

Caso estas pessoas sejam preteridas na busca por cargos ou ofendidas em qualquer situação do cotidiano, aplicam-se os dispositivos da lei n. 7.716/89, relativa aos crimes de discriminação.

A resolução n. 31/98 do Ministério da Fazenda isenta essas pessoas do pagamento do IPI sobre veículos automotivos.

A legislação complementar infra constitucional relativa a pessoas portadoras de deficiências ainda é muito difusa, mas as normas possuem plena aplicabilidade.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Como um tetraplegico usa o computador? Você sabe?

Muitas pessoas tem dúvidas de como uma pessoa com tetraplegia pode usar um computador sozinha, navegando e escrevendo textos. Certamente essas pessoas utilizam-se de orteses para que possam usar o teclado normal, sendo que normalmente essa ortese é feita para ser usada com a boca ou para os que tem uma mobilidade um pouco maior, utiliza-se um trackball.

Depois da novela Viver a Vida ficou muito mais simples entender que um deficiente consegue fazer quase tudo, basta para isso ter o equipamento que o auxilie. Hoje temos vários programas e orteses para auxiliar a pessoas que tem paralisia severas para usar o computador.

O Leandro Portella do blog Ser Lesado postou há um tempo atrás um vídeo de como ele usa a ortese para teclar e navegar no seu micro. Achei o vídeo bem interessante e com certeza vale a pena vê-lo:



Para quem se interessou nas tecnologias de orteses e programas para deficientes fisicos poderem utilizar computadores, pode dar uma olhada no site da Brasil Media, que ele traz mais algumas informações sobre outras tecnologias assistivas.

quinta-feira, 21 de julho de 2011

quarta-feira, 20 de julho de 2011

terça-feira, 7 de junho de 2011

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Anunciado novo Secretário Nacional de Promoção da Pessoa com Deficiência

Atual secretário interino, Antonio José do Nascimento Ferreira, assume a pasta
A ministra Maria do Rosário comunicou que o atual secretário interino, Antonio José do Nascimento Ferreira, assumirá a titularidade da Secretaria Nacional de Promoção da Pessoa com Deficiência (SNPD), durante reunião do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (CONADE).
Ela destacou o empenho e compromisso de Antonio nas causas da pessoa com deficiência, ressaltando que sua vida pessoal demonstra preparação para o exercício do cargo.
O presidente do Conade, Moisés Bauer, parabenizou a ministra pela sua escolha ao indicar Antonio José como secretário. Moisés aproveitou ainda para destacar a importância da campanha de acessibilidade durante os jogos de futebol, com a entrada do bandeirão.
Antonio José do Nascimento Ferreira, 39 anos, vem do movimento social das pessoas com deficiência; foi o primeiro presidente da Organização Nacional dos Cegos do Brasil (ONCB), no momento em que o movimento de cegos foi unificado. Em Recife, trabalhou por oito anos como Gestor de Política Pública para Pessoas com Deficiência. No ano de 2010 exerceu o cargo de coordenador-geral de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Em 2011 assumiu a chefia de gabinete da SNPD e há um mês exerce o cargo de secretário nacional interino.

Na mesma ocasião, a Ministra lançou a Publicidade de Utilidade Pública (PUP) Cidade Acessível é Direitos Humanos. Ela assinou Portaria que institui uma comissão para o acompanhamento e monitoramento de políticas públicas em prol das pessoas surdas, demonstrando que as obrigações assumidas com a Convenção, sobre os direitos das pessoas com deficiência, estão sendo cumpridas.
A campanha Cidade Acessível é Direitos Humanos, que conta com todos os recursos de acessibilidade (audiodescrição, legenda e intérprete de Libras), tem duração de 1 minuto, estando ainda segmentada em três temas (Educação Inclusiva; Semáforos Sonoros; e Guias Rebaixadas e Ônibus Acessíveis) de 30 segundos. A PUP está disponível à imprensa para veiculação gratuita e também aos conselhos de Direitos das Pessoas com Deficiência como material educativo.

Fonte: SDH

sexta-feira, 20 de maio de 2011

- O Estado de S.Paulo

LONDRES


AFPEsperança. Rob Summers se levantou da cadeira de rodas
Rob Summers, um americano de 25 anos que ficou paraplégico após um acidente de carro em 2006, conseguiu se levantar e caminhar graças a uma combinação pioneira de estímulo epidural e treinamento. O feito é fruto do trabalho de especialistas do Centro de Pesquisa da Medula Espinhal da Universidade de Louisville e da Universidade da Califórnia e está descrito na revista médica The Lancet.

Imagens que acompanham a pesquisa mostram que Summers é capaz de se levantar e ficar em pé por até quatro minutos (com ajuda periódica, chega a uma hora). Com o auxílio de outras pessoas, pode dar vários passos sobre uma esteira. Ele consegue mover voluntariamente o quadril, os joelhos, os tornozelos e os dedos dos pés. Segundo os pesquisadores, o paciente também recuperou parcialmente o funcionamento dos órgãos sexuais e da bexiga.

Os cientistas basearam seu projeto na estimulação elétrica contínua da parte inferior da medula espinhal do paciente, simulando os sinais que o cérebro transmite em condições normais para iniciar um movimento. Uma vez que o sinal é transmitido, a rede neurológica da medula, em combinação com a informação sensorial que as pernas enviam, é capaz de dirigir os movimentos dos músculos e das articulações necessários para se levantar e andar, sempre com a ajuda de terceiros.

O outro aspecto fundamental do trabalho foi "reeducar" as redes neurológicas da medula para produzir o movimento muscular necessário para as atividades. Esse processo de intenso treinamento físico durou mais de dois anos e exigiu o implante de um dispositivo de estimulação elétrica nas costas do paciente.

Os professores Susan Harkema e Reggie Edgerton, que dirigiram a pesquisa, afirmam no estudo que seu objetivo é permitir a pessoas com lesões medulares que portem uma unidade portátil de estímulo elétrico. Isso aumentaria a possibilidade de o paciente se levantar, manter-se de pé e dar alguns passos de maneira independente, embora sempre com a necessidade de se apoiar em um andador.

Edgerton explica que "a medula pode interpretar esses dados de maneira independente e mandar instruções de movimento às pernas, tudo isso sem participação cortical".

Cautela. Mesmo com o sucesso de Summers, Harkema e Edgerton se mostram cautelosos e ressaltam que ainda há muito trabalho a ser feito antes que essa técnica que desenvolveram possa ser disseminada.

"É um passo adiante. Abre uma grande oportunidade para melhorar a vida diária desses indivíduos, mas ainda temos um longo caminho a percorrer", disse Harkema.

Os autores ressaltaram que o caso de Summers é especial porque, apesar de ele estar paralisado do tronco aos pés, ele ainda mantinha uma certa sensibilidade nessa área. / EFE


Revolução

ROB SUMMERS
PACIENTE

"Esse procedimento mudou minha vida. Para alguém que há quatro anos era incapaz de mover um dedo do pé, ter a liberdade e a capacidade de levantar sozinho é uma sensação incrível."

terça-feira, 17 de maio de 2011

Reportagem abordando a acessibilidade dos meios de transporte.
O foco maior foi dado para o transporte aeroviário, mostrando problemas em aeroportos e aviões.
Quem já viajou de avião sabe que um embarque tranquilo depende, infelizmente, de sorte. Mesmo estando num aeroporto bem equipado, que tenha pontes de embarque (fingers), é preciso ter sorte para que o avião esteja parado ao lado de uma. Também é preciso sorte para marcar o lugar na primeira fila do avião, sorte para o avião estar no horário e conseguir embarcar com tranquilidade, sorte para não precisar do banheiro durante o vôo (situação super-constrangedora)… enfim… viajo frequentemente de avião e já aprendi que rezar adianta mais do que reclamar.

cadeirante embarcando em estação tuboOutro ponto mostrado na reportagem foi o transporte em ônibus. Apareceu um cadeirante tentando tomar um ônibus urbano em Curitiba/PR, usando as famosas “estações tubo”. Sem problemas. Eu mesmo usei esse tipo de ônibus por algum tempo quando morava naquela capital e o acesso era muito fácil.
Uma citação foi feita aos ônibus intermunicipais, que normalmente são mais altos, com apenas uma única e estreia porta de entrada. Há algum tempo eu tenho reparado que os ônibus intermunicipais mais novos têm o adesivo de acessibilidade colado na porta. Curioso sobre isso, enviei um email para a empresa Marcopolo, uma das maiores fabricantes de carrocerias de ônibus no Brasil e fabricante de alguns ônibus que eu tinha visto com o adesivo. (esclarecimento: a foto abaixo é de um ônibus de outro encarroçador, porém com acesso idêntico à maioria dos veículos).

ônibus intermunicipal com adesivo de acessibilidadeO texto do email que enviei foi o seguinte:
Tenho visto vários ônibus intermunicipais e interestaduais com o símbolo de acessibilidade, que acredito representar facilidade de acesso ao interior do veículo. No entanto, esses veículos continuam apresentando entradas estreitas e com escadas, representando grande dificuldade para pessoas com problemas de locomoção. No caso do passageiro ser cadeirante, o embarque é impossível, pois a entrada é tão estreita que impede a passagem de alguém carregando a pessoa no colo. Por que esses veículos utilizam o símbolo de acessibilidade se não há nenhuma facilidade de acesso? Que tipo de adaptações foram feitas?

A resposta da empresa foi a seguinte:
Informamos que os referidos veículos são dimensionados para atender a norma NBR 15320 (Acessibilidade de Veículos Rodoviários), e estabelece dentre muitas melhorias para a acessibilidade, a utilização de uma cadeira de transbordo especial para o translado da pessoa, da cadeira de rodas para o assento reservado no ônibus.
Pois bem. Um belo dia precisei utilizar um ônibus desse tipo para ir a um evento da empresa. O ônibus era novo e o adesivo de acessibilidade estava na porta. Fiquei empolgado para conhecer a tal “cadeira de transbordo”. Sabe o que o motorista disse?

“Que é isso, moço? Nem sei se esse negócio existe, mas nesse ônibus nunca teve. Sempre que alguém vai embarcar, carregamos no braço mesmo.”

domingo, 8 de maio de 2011

Autoescolas sem adaptação para deficientes serão descredenciadas

As autoescolas que não estiverem adaptadas para receber alunos com deficiência física serão descredenciadas pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran-PI). Já no início de 2011, duas delas foram reprovadas em vistoria do órgão por não possuírem infraestrutura adequada para estes alunos.
De acordo com a resolução Nº 358, de 13 de agosto de 2010, do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), todos os Centros de Formação de Condutores (CFC) devem possuir rampas nas suas entradas e apoio nos banheiros, devidamente adaptados para candidatos com deficiência física.
As áreas de circulação devem possuir o Símbolo Internacional de Acesso, estando livres de obstáculos (escadas), permitindo livre movimentação de pessoas que usam cadeira de rodas, além de vagas no estacionamento devidamente sinalizadas com placas para identificá-las.
Os banheiros devem possuir portas tipo alavanca, área suficiente para manobra de cadeirantes, barras laterais de apoio para uso de sanitários, pia com altura de 0,8m do piso e torneira tipo pressão.
A vistoria é realizada pela equipe de Fiscalização da Coordenação de CFC do Detran-PI. As empresas devem adaptar sua infraestrutura até o prazo de 13 de agosto de 2011, quando a resolução completa um ano em vigor. Do contrário, o local não terá sua licença para funcionar.
De acordo com a Resolução Nº 68 do Contran, os candidatos com deficiência física também podem realizar os exames de baliza e percurso em carro próprio adaptado, desde que a autoescola entre em contato com o Detran-PI, agendando uma vistoria do veículo. Caso o aluno não possua carro, o órgão disponibiliza um automóvel adaptado.
Fonte: http://www.jornalista292.com.br/noticia_detalhe.php?id=5294

sexta-feira, 6 de maio de 2011Aumenta número de carteira assinada de trabalhadores com deficiência

sexta-feira, 6 de maio de 2011Aumenta número de carteira assinada de trabalhadores com deficiência
Um levantamento feito pelo Ministério do Trabalho (MTE) aponta que no primeiro trimestre de 2011 foram inseridas 7.508 pessoas com deficiência no mercado de trabalho. Um aumento de 40,7% em relação ao mesmo período de 2010. De acordo com dados do Ministério, desde 2005, 143 mil trabalhadores conseguiram empregos formais.
Segundo a Secretaria de Inspeção do Trabalho (SIT) a cada ano cresce o número de pessoas com deficiência em postos de trabalhos. Em 2005 eram 12.786, já 2010, esse número saltou para 28.752.

O Ministério acredita que esse aumento se deve a fiscalização do órgão que é feita em mais de 26 mil cidades. Essa ação se deve a Lei 8.213/91, a Lei de Cotas, que determina que as empresas que têm mais de 100 empregados devem cumprir uma cota, proporcional ao seu tamanho, com cargos para trabalhadores reabilitados ou pessoas com deficiência.
O ministro do trabalho, Carlos Lupi, disse que o empresariado precisa se conscientizar da necessidade de cumprir a lei, para que tenhamos uma sociedade mais justa e com oportunidades iguais para todos.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Hospital Sarah Kubitschek

Um paraiso localizado no centro de Brasilia.

sábado, 23 de abril de 2011

Unidades

O primeiro hospital da atualmente denominada "Rede Sarah" foi a unidade de Brasília; a experiência, em seguida, foi sendo ampliada para outras capitais, estando presente também nas seguintes cidades:

Belém
Belo Horizonte
Fortaleza - SARAH-Fortaleza
Macapá
Rio de Janeiro
Salvador
São Luís do Maranhão

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Hospital Sarah Kubitschek

E o nome pelo qual são conhecidas várias unidades hospitalares brasileiras, destinadas ao atendimento de vítimas de politraumatismos e problemas locomotores, objetivando sua reabilitação; é mantido pelo Governo Federal, embora sua gestão faça-se pela Associação das Pioneiras Sociais. O nome é em homenagem à Sarah Kubitschek, primeira dama do país na época da fundação de Brasília.

Onde tem rede sarah?

Rede SARAH é a uma das maiores do mundo em reabilitação. Seus Hospitais em Belém, Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Macapá, Rio de Janeiro, Salvador e São Luís oferecem todos o mesmo padrão de atendimento. Todas as pessoas são tratadas com atenção e respeito.
Os hospitais da Rede SARAH, entretanto, não atendem Urgência, Emergência nem Pronto Socorro, pois esses são serviços de responsabilidade dos hospitais distritais ou municipais.
Lembre-se: você não paga nada, porque já pagou os seus impostos.

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Sarah Kubitschek

video

Cinthya

Se preparando para dar um mergulho.

Flávio H. Toyota

Fazendo Biciclete no sarah.

Leandro saindo da piscina do Sarah.



Leandro e João Arnaldo Rodrigues

Depois d uma atividade de canoa no Sarah Lago Norte.

Flávio H. Toyota



Flávio e sua Harley...kkkkkkkkkkk

Flávio H. Toyota



Um dia de lazer no Sarah lago norte.

terça-feira, 19 de abril de 2011

Lukas Ferreira



Sala de repouso la no Sarah centro.

Leandro e a Cinthya



mais um dia no sarah.

Marina Juliatti



Foto da Marina na piscina do sarah.